Taiko na Região

Segundo informações de Adnaldo Oldair Souza, esta relação intercultural e musical com o Taiko no Pará já ocorre desde meados de 1995, quando se apresentou em Belém (na APANB) o grupo Mori no Odori no Shu, que também realizou a primeira oficina de Taiko em Belém com a participação de alunos de percussão do Conservatório Carlos Gomes. Esse foi o ponto de partida para mais outras três oficinas que se deram em 1997 com o professor Sawasaki, em 2003 com o professor Oda (voluntário da JICA) e em Março de 2004 com os professores Takuma e Yuki Sawasaki, complementa Adnaldo Souza.

A não ser pelos acontecimentos acima, o Taiko do Pará era simbolizado apenas nos festivais de Bon-Odori, nos quais acompanhava dando ritmo às tradicionais músicas e danças japonesas.

Semana do Japão - Bon-Odori

Semana do Japão – Bon-Odori

Mas, a partir de 2004, ano de comemoração dos 75 anos de imigração japonesa na Amazônia, concentraram esforços a fim de que se pudesse dar mais importância ao Taiko.

E o então surgimento do Grupo Kodon, sob a responsabilidade da APANB, e inspirado no Grupo Kotaro de Iguazu, teve um papel fundamental nesta mudança.

Shinnenkai 2005 - Primeira Apresentação Grupo Kodon

Shinnenkai 2005 – Primeira Apresentação Grupo Kodon

Pelo que se sabe, desde 2004 o Grupo Kodon vinha sendo o único grupo de Taiko, no estilo de apresentações, da Amazônia, sendo genuinamente paraense.

Grupo Kodon e Fuugakazan Yosakoi Soran de Manaus - 2007

Grupo Kodon e Fuugakazan Yosakoi Soran de Manaus – 2007

Em 2007, o Grupo Kodon foi ao Amazonas se apresentar, e o Fuugakazan Yosakoi Soran de Manaus ficou impressionado e bem interessado em Taiko. Tanto que em 2009, a partir de um workshop de Taiko de Minowa sensei, o Fuugakazan criou seu próprio grupo, Fuugakazan Taiko.

Finalmente, quase quatro anos após a previsão de Josei Kanashiro, foi criado em 2009/2010 um grupo em Belém, chamado Grupo Ryoseishin Daiko do CEKO, idealizado por Hiniro No e Diana Lins. Atualmente o grupo se chama Seishin Daiko.

Mais tarde, em 2011, foi fundado em Ananindeua, cidade vizinha de Belém, o Instituto Kaizen Taiko, idealizado por Eneida Fádell, que também é mentora do Instituto de Gong Fu Vida Longa.

E em 2013, a partir do Yui Soran, grupo de Yosakoi Soran do CEKO, foi formado o grupo de Taiko mais recente de Belém, o grupo Yui Daiko, atualmente liderado por Luiz Pingarilho.

Há também os grupos exclusivamente de Bon-Odori presentes nas colônias japonesas, ou que são formados temporariamente para as festividades locais, que na verdade já existiam antes do Grupo Kodon.

Vale ressaltar que o Kodon é também um grupo bastante presente nos festivais de Bon-Odori da região.